27 de jul de 2015

Resenha: Ugly Love (O lado feio do amor).


Sinopse: Quando Tate Collins conhece o piloto Miles Archer, ela sabe que não é amor à primeira vista. Eles nem iriam tão longe para dizer que eram amigos. A única coisa que Tate e Miles têm em comum, é essa inegável atração. Uma vez que seus desejos são descobertos, eles percebem que eles têm um arranjo perfeito. Esse arranjo pode ser surpreendentemente simples, contanto que Tate se atenha às duas únicas regras de Miles. 1- Nunca pergunte sobre o passado. 2 - Não espere um futuro. Eles acreditam que podem lidar com isso, mas percebem, quase imediatamente, que isso não será possível.

Eu nunca fiz resenha antes no blog, mas depois de ler esse livro eu senti a necessidade de vir aqui e expor minha opinião, pois eu achei esse livro fantástico. É o primeiro livro da Collen hoover que eu li, e depois desse vou com certeza ler outros dela (espero que sejam tão bons quanto este). Eu li ele em menos de 5 horas porque eu simplesmente não consegui parar. 

O livro conta a história de amor, não comum, de Tate e Miles. Tate tem 23 anos, uma jovem trabalhadora e estudiosa que se muda para o apartamento de Corbin, seu irmão mais velho , em São Francisco para terminar seus estudos. Logo quando chega, ela encontra um homem totalmente bêbado na porta do apartamento de seu irmão, sendo este homem Miles, um jovem amigo de seu irmão, piloto de avião da mesma companhia que ele e seu vizinho.
Depois de serem apresentado corretamente, acontece uma coisa que nenhum dos dois poderia negar: a forte atração que eles sentiram um pelo outro. E se você acha que  a partir dai eles começam um romance normal, você esta totalmente errado, ainda mais pelo fato de que Miles não se relaciona com ninguém a exatos 6 anos, sim 6-a-n-o-s. Mas ele não pode controlar sua atração por Tate, então eles passam a ter meio que uma relação sem compromisso, na qual Miles estabeleceu duas regras: 1- Nunca pergunte sobre o passado. 2 - Não espere um futuro. Eles vão ficando, se apegando cada vez mais, Tate, mesmo sabendo que não podia, começa a se apaixonar por Miles, e ele por sua vez, está sempre tentando fugir disso, pois algo que aconteceu em seu passado o fez prometer a si mesmo que nunca amararia alguém novamente, nunca. 

Apesar das circunstancias eu me fiquei completamente apaixonada pelo Miles, pois ele não é nenhum tipo de cafajeste, ele não é aquele personagem que faz você passar raiva, pois no  livro você  poder entender ele e ver que ele realmente sofreu muito no passado. E eu completamente amei a Tate, ela não é nenhum tipo de mocinha ingenua muito pelo contrário, ela é segura, sabe bem o que quer e apesar de ter medo e de saber que iria se machucar tendo essa relação com Miles, ela lida bem com o que está acontecendo.

O que eu mais gostei nesse livro foi o fato de que o livro todo eu fiquei com o mesmo medo que a Tate, o medo de como isso tudo iria acabar.

Posso dizer que esse é um dos melhores livros que já li, pois mostra que o amor pode sim ter seu lado lindo, seu lado perfeito, mas as vezes ele pode também ter seu lado feio, escuro.

Griffin Peterson fez uma música especialmente para o livro. É absolutamente linda, escutem:



O livro chega ao Brasil no próximo mês e  já esta em pré venda, mas já tem ele traduzido em pdf, então seu alguém quiser comprar ou baixar vou deixar o link aqui em baixo. 




E ele também vai ter uma adaptação cinematográfica que sairá em 2016. Confira o teaser: 



Espero que tenham gostado da minha resenha e não esqueçam de me contar o que acharam do livro se lerem ele ;)
beijos  <33


16 de jul de 2015

TAG: De tudo um pouco






Olá seres humanos habitantes da terra <3
A Steph do blog Não é Berlim me indicou pra uma tag super legal,e ela se chama De tudo um pouco e devo seguir as seguintes regras: 

1. Responder todas as perguntas;
2. Indicar no mínimo 11 blogs com menos de 500 seguidores;
3. Colocar o selo da tag;
4. Colocar o link de quem te indicou; 



1. Qual o seu estilo musical preferido?
Pop rock, teen pop.

2. Qual peça de roupa é a sua queridinha do momento?
Acho que meu pijama (ahsuhushsushushsu).

3. Quais dos seus esmaltes são mais divos, marca e cor?
Um verde água e um preto da Ludurana.

4. Shorts ou saia, e por quê?
Pra ser sincera nenhum dos dois, mas  se tenho que escolher prefiro shorts, porque me deixam mais confortavéis do que saias.

5. Cabelo liso ou cacheado?
Liso. (acho lindo cabelos cacheados mas não em mim).

6. Salto ou sapatilha?
Com certeza sapatilha, não sei andar de salto (ahsushush).

7. Brigadeiro ou sorvete?
Sorvete, sem dúvidas.

8. Doce ou salgado?
Puts, pergunta mais dificil dessa tag, mas eu escolho salgado (não tem nada como uma esfirra de carne).

9. Como você define seu estilo?
Básico.

10. Você é um tipo de mulher consumidora ou só compra o básico?
Só compro o básico (mas quando sobra uma graninha, por que não gastar com umas besteirinhas né asushush).

11. Você se considera vaidosa?
As vezes, sim.

Indico pra responder: TODOS VOCÊS, claro só quem quiser, e quem tiver menos de 500 seguidores! Fiquem a vontade pra responder e não esqueçam de me avisar :)



Beijosss <3


7 de jul de 2015

Bons o suficiente.


Vocês já se sentiram como se nunca fossem bons o suficiente para alguém? Como se tudo que você fizesse nunca fosse o suficiente para deixar pessoas especiais orgulhosas e satisfeitas com você? Como se todo seu esforço para agradar essas pessoas fosse só tempo perdido? Pois é, me encontro muito nessa situação ultimamente, e isso me fez parar e pensar se preciso mesmo querer ser mais do que já sou, mudar meu jeito, minha aparência, minhas opiniões para tentar agradar alguém, quando na verdade não faço nada para desagrada-lá além de ser eu mesma, sem máscaras, sem nada, só eu. Me fez parar e pensar por que querer ser alguém que outra pessoa gostaria que eu fosse? Por que querer sempre agradar a todos antes mesmo de agradar a mim? Percebi que na verdade, tentando não ser egoísta com aqueles que me rondam, estou sendo egoísta demais com alguém que só quer viver sem ressentimentos, sem arrependimentos, que só quer saber que o melhor de si já é o suficiente para todos ou pelo menos para quase todos, alguém que só quer  deixar as pessoas que mais ama felizes e orgulhosas sem precisar mudar seu jeito de ser, alguém que só quer ser ela mesma e esse alguém sou eu mesma.


I'm sorry I can't be perfect.

Sou nova nisso de escrever textos, então me desculpem por esse textinho xoxo, que na verdade foi mais um desabafo. bjos <3